Revista de Gestão Revista de Gestão
Revista de Gestão 2017;24:293-303 - Vol. 24 Num.4 DOI: 10.1016/j.rege.2017.07.001
Recursos Humanos e Organizações
Sessão especial - Fast Track SEMEAD: Antecedentes do conflito trabalho‐família: diferenças entre a percepção de homens e mulheres nas melhores empresas para você trabalhar
Work‐family conflict antecedents: differences between men's and women's perceptions in the best companies for you to work
Érica Custódia de Oliveiraa,, , Angela Christina Lucasb, Tania Casadoa
a Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil
b Centro Universitário Fundação Educacional Inaciana, São Bernardo do Campo, SP, Brasil
Received 16 December 2016, Accepted 14 July 2017
Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar se há diferenças entre a percepção de homens e mulheres sobre antecedentes organizacionais relacionados ao conflito trabalho‐família (CTF). A metodologia é quantitativa descritiva, tendo sido usados dados secundários da pesquisa das “Melhores Empresas para Trabalhar de 2015”, e as técnicas de estatística descritiva (frequência das práticas formais), análise fatorial (percepções dos trabalhadores sobre quatro antecedentes) e teste t e Anova two‐way (para avaliação de significância estatística das diferentes médias resultantes nos grupos de interesse). Dos resultados encontrados, destacam‐se dois: as mulheres percebem mais apoio do gestor e menos envolvimento no trabalho, o que sugere menor CTF para elas, mas menos apoio social dos colegas e equilíbrio entre vida profissional e pessoal, o que indica maior CTF para elas; há um descolamento entre as práticas formais para gestão do CTF e a percepção dos trabalhadores nas organizações investigadas, pois naquelas em que há essas práticas não foi encontrada menor percepção dos antecedentes que aumentam o CTF.

Abstract

This article aims to analyze if there are differences between men's and women's perceptions about organizational antecedents related to the work‐family conflict (WFC). The methodology is descriptive quantitative, using secondary data from the The Best Companies for You to Work survey of 2015, and the techniques of descriptive statistics (frequency of formal practices), factorial analysis (workers’ perceptions about four antecedents) and test t and ANOVA two‐way (to evaluate statistical significance of the analyzed groups’ different means). Two of all the results found stand out: women perceive more support from the manager and less involvement in the work, which suggests less WFC for them, but less colleagues social support and balance between professional and personal life, which indicates higher WFC for them; there is a detachment between formal practices for WFC management and the workers’ WFC perception in the organizations investigated, since the presence of such practices is not associated with lower perception of the antecedents that increase WFC.

Palavras‐chave
Antecedentes, Conflito trabalho‐família, Mulheres
Keywords
Antecedents, Work‐family conflict, Women
Revista de Gestão 2017;24:293-303 - Vol. 24 Num.4 DOI: 10.1016/j.rege.2017.07.001